TEX WILLER BLOG

Tertúlia Texiana no Porto, com Fabio Civitelli

março 31, 2012
Por José Carlos Francisco (texto e fotos), Carlos Moreira (fotos)  e Orlando Santos Silva (fotos)
No fim de semana de encerramento do MAB Invicta – Festival Internacional de Multimédia, Artes e BD, no Porto, mais precisamente na noite de 17 de Março, sábado, realizou-se, no que ao Tex diz respeito, uma Tertúlia Texiana que juntou mais de 25 pessoas numa alongada mesa no restaurante Abadia.
.


Mesa da Tertúlia Texiana no Porto, com a presença de Fabio Civitelli

Situado na zona histórica da cidade Invicta, o restaurante Abadia do Porto, foi fundado em 1939. Diz-se que o nome terá origem nas abadias, onde os peregrinos, que demandavam de Santiago de Compostela, repousavam algumas horas, dormindo e comendo antes de encetar mais uma etapa da longa caminhada com o objectivo religioso.


Desde há muitos anos que o Abadia do Porto é conhecido pelas excelentes refeições que serve, sendo local de passagem obrigatória para inúmeras individualidades, tais como: Francisco Sá Carneiro, Aníbal Cavaco Silva, José Saramago, Sophia Loren e Fabio Civitelli, entre muitos outros.


A Tertúlia Texiana do Porto foi seguramente um motivo mais para atrair alguns fãs e coleccionadores de Tex até à bela cidade nortenha de modo a poderem desfrutar de um maior espaço temporal junto de muitos outros fãs e coleccionadores de Tex, mas sobretudo de Fabio Civitelli, já que o autor italiano tinha confirmado há muito a sua presença em mais esta Tertúlia Texiana.


Como o próprio nome diz, a Tertúlia é na sua essência uma reunião de amigos com pelo menos um gosto em comum, que se reúnem de forma mais ou menos regular, para discutir vários temas e assuntos, embora no Porto e por motivos óbvios, tudo se concentrava em redor de Tex e de Fabio Civitelli, daí ser denominada Tertúlia Texiana, já que no fundo todos os presentes eram (são) apaixonados pela personagem Tex Willer.

E foi uma verdadeira Tertúlia Texiana na real acepção da palavra, porque no quesito “Tertúlia” para além dos fãs e coleccionadores de Tex, acompanharam-nos em muitos casos as respectivas famílias e no quesito “Texiana” porque todas as conversas iam parar a Tex e também porque no fausto jantar não faltaram sequer os famosos bifes de dois dedos de altura cobertos por uma montanha de batatas fritas…


Já era perto da meia noite quando após registarmos as últimas fotos, abandonamos o restaurante Abadia sendo a hora de algumas despedidas já que alguns texianos regressavam a casa nessa mesma noite, mas para aqueles que pernoitavam no Porto, a Tertúlia Texiana prosseguiria no domingo, como veremos num próximo post


(Para aproveitar a extensão completa das fotos acima, clique nas mesmas)
0

As Leituras do Pedro: Tex Edição em Cores #10

março 30, 2012

As Leituras do Pedro*

Tex Edição em Cores #10
O Senhor das Onças
Gianluigi Bonelli
(argumento)
Aurelio Galleppini (desenho)
Mythos Editora (Brasil, Junho de 2011)
160 x 210 mm, 252 p., colorido, brochado, mensal
R$ 29,90 / 15,00 €

1. Está este mês nas bancas portuguesas o décimo tomo da colecção Tex Edição em Cores, que constitui uma das últimas oportunidades de (re)descobrir a fase clássica do mais antigo western dos quadradinhos em publicação.
2. (Ou talvez não porque a Mythos continua a disponibilizar – mesmo para Portugal – todos os números já editados…
3. … ou sejam 12, o que significa que esta colecção – já terminada no Brasil – acabará a sua vida em Portugal dentro de dois meses…
4. … pelas razões que o editor brasileiro explicou aqui.

5. Fica, portanto, bem longe dos 239 volumes que atingiu a Collezione Storica a Colori, lançada em Itália com os jornais La Repubblica e L’Espresso que, na prática, republicou a cores todas as histórias regulares dos mais de 60 anos de Tex.
6. Quanto à colecção brasileira, ao longo de 12 volumes, quase 3000 páginas e mais de 9000 tiras, possibilitou conhecer não só as primeiras aventuras do ranger mas também como foram lançadas as bases de um sucesso que continua a resistir até aos nossos dias.
7. De alguma forma adaptado – em termos narrativos e gráficos – aos tempos que correm, mas com uma assinalável fidelidade aos princípios estabelecidos pelos seus criadores há mais de meio século:
8. Muitos tiros, perseguições e acção a rodos, (a quase) infalibilidade do protagonista, a aplicação da justiça a qualquer preço e por qualquer meio, o valor da amizade…
9. Apesar disso, as histórias incluídas neste tomo, a par das atrás citadas, apresentam algumas características, que foram mais ou menos habituais em Tex em determinada época, e que em tempos recentes têm sido preteridas.
10. Refiro-me ao grande protagonismo assumido pelo seu filho Kit Willer, como rampa de lançamento para uma série autónoma (seguindo uma moda que então fazia lei nas histórias aos quadradinhos) mas que teve sucesso limitado;
11. Ao toque de fantástico que estes argumentos têm, proporcionado pelo encontro de Tex com civilizações pouco conhecidas ou mesmo perdidas – o povo-leopardo; os habitantes do vulcão – e cujo expoente seriam as memoráveis aventuras em que defrontou o vilão Mefisto.
12. E também à presença de mulheres belas e sensuais, geralmente adversárias do ranger, aqui já viúvo mas indiferente aos seus (muitos) atractivos…
13. Por isso, para além de proporcionar a leitura de um western bem animado e de possibilitar o conhecimento do passado do herói, este livro é também um documento de uma época , dos gostos dos seus leitores e de uma certa forma de encarar e de fazer BD…
14. Que – apesar de alguma ingenuidade e das marcas deixadas pelo tempo que entretanto decorreu – acredito que importa conhecer, até para perceber a evolução e o momento presente de Tex, sem dúvida um dos expoentes de uma certa banda desenhada de características bem populares.


*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias e na revista In’ – distribuída as sábados com o JN e o DN), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro (http://asleiturasdopedro.blogspot.com/).
1

Fabio Civitelli: encontros e reencontros na cidade do Porto

março 29, 2012
Por José Carlos Francisco (texto e fotos),  Orlando Santos Silva (fotos) e Carlos Moreira (fotos)

O desenhador italiano Fabio Civitelli e o editor brasileiro Dorival Vitor Lopes reencontraram-se no aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto
Durante os dois dias (17 e 18 de Março de 2012) em que Fabio Civitelli esteve na cidade do Porto, onde foi uma das estrelas mais cintilantes do MAB Invicta – Festival Internacional de Multimédia, Artes e Banda Desenhada, o autor italiano teve vários encontros e muitos mais reencontros com muitos dos seus fãs e admiradores portugueses, mas não só, pois o evento também contou com a presença do editor brasileiro Dorival Vitor Lopes e ainda com a presença de dois fãs italianos muito especiais, que vieram uma vez mais a Portugal para rever o seu ídolo e poder conviver um pouco mais com Civitelli, tal como também foi esse um dos principais motivos que levaram dezenas de fãs e coleccionadores de Tex a deslocarem-se à bela cidade do Porto nesse fim de semana verdadeiramente inesquecível para todos que tiveram o privilégio de privar de perto com um dos melhores e mais conceituados desenhadores de Itália e não somente de Tex.

Fabio Civitelli e os texianos portugueses, a alegria do reencontro uma vez mais em Portugal
Nesta que foi a sua quinta visita a Portugal, Civitelli mais uma vez foi o centro das atenções, distribuindo autógrafos e sorrisos, além de posar para fotos ao lado de seus inúmeros fãs presentes na bela cidade capital do norte, não se cansando de agradecer pessoalmente a todos (chamando pelo respectivo nome todos aqueles que já conhecia e querendo saber logo o nome daqueles que via pela primeira vez) pela acolhida que recebeu uma vez mais.


São alguns desses encontros e reencontros que vos damos a conhecer hoje numa sucessão de belas fotos que ilustram este novo texto dedicado à presença de Fabio Civitelli no MAB Invicta – Festival Internacional de Multimédia, Artes e Banda Desenhada.












(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)
0

Tex Edição Especial Colorida #1 terá formato ITALIANO

março 28, 2012
Por José Carlos Francisco

EM ABRIL A MYTHOS.EDITORA ESTREIA UMA NOVA
.
COLECÇÃO
(COLORIDA)
.DEDICADA AO RANGER: TEX.
EDIÇÃO ESPECIAL COLORIDA
E
.TERÁ FORMATO ITALIANO!

Devido ao estrondoso sucesso da “Collezione Storica a Colori” (Colecção Histórica a Cores), a iniciativa, apresentada semanalmente na Itália desde Fevereiro de 2007 pela Sergio Bonelli Editore em associação com o “La Repubblica” e o “L’espresso”, repropondo as aventuras de Tex, pela primeira vez integralmente em “technicolor”, 2011 trouxe na Itália o nascimento de uma nova série produzida pela casa milanesa, série essa com PERIODICIDADE ANUAL e com a particularidade de apresentar histórias INÉDITAS e COLORIDAS!
Série essa que chegará, em Abril, ao Brasil, com o habitual selo da Mythos Editora, e que para além das cores, será lançada no mesmo formato que a edição italiana (ao preço de 18,90 Reais), tendo como título Tex Edição Especial Colorida e cuja capa desta edição número 1 mostramos de seguida:

Tex Edição Especial Colorida #1 terá formato ITALIANO
Neste primeiro número vamos encontrar a orquestrar a aventura, Mauro Boselli nos textos e Bruno Brindisi a ilustrar as 160 páginas auto-conclusivas que compõem a história “E Chegou o Dia” (“E venne il giorno“ no original) que contará com um flashback que mostrará uma história do passado de Tex e onde comparecerão os 4 pards.
A aventura mostrará uma vingança maturada por anos por um inimigo que não tem a memória curta e que atraiu Kit Carson para uma armadilha e por via disso, os pards arriscarão mais do que nunca a pele na longínqua Spokane Falls, próxima da fronteira canadiana.
O novo álbum da Mythos Editora apresentar-se-à nos quiosques brasileiros a 15 de Abril enriquecido por uma capa desenhada e pintada por Claudio Villa como se pôde ver um pouco acima.
Esta nova colecção a cores, que muito provavelmente chegará a Portugal lá para o final do Verão (tendo um preço de venda ao público de 9,50 €), certamente dará uma nova vida ao Ranger, tentando captar muitos dos jovens leitores de língua portuguesa que foram seduzidos  pelas cores das inúmeras histórias repropostas a cores nos 12 números publicados pela Mythos na colecção colorida de Tex.
Para finalizar informamos que os próximos números – já em produção – desta nova série a cores trarão autores do calibre de Freghieri, Ticci, Milano, Cossu e Fabio Civitelli…
9

Fabio Civitelli (e Tex) na zona ribeirinha do Porto

março 27, 2012
Por José Carlos Francisco (texto) e Orlando Santos Silva (fotos)
Durante uma pausa matinal ocorrida no domingo, 18 de Março, no decurso do MAB Invicta – Festival Internacional de Multimédia, Artes e Banda Desenhada, na cidade do Porto, em Portugal, Fabio Civitelli na companhia de alguns pards portugueses, deslocou-se à zona ribeirinha portuense, um dos locais mais antigos e típicos da cidade Porto e que seria obrigatório Civitelli visitar.

Mário João Marques, Fabio Civitelli, José Carlos Francisco e Orlando Santos Silva no local do duelo de Tex
Isto porque como forma de agradecimento por este novo convite português, o quinto, Fabio Civitelli desenhou uma vez mais Tex em Portugal, mais precisamente em Vila Nova de Gaia, tendo como pano de fundo, a bela e invicta cidade do Porto, numa das zonas mais emblemáticas, a zona ribeirinha!
Desta vez Fabio Civitelli idealizou um duelo do Tex, não numa main street, mas sim diante do porto da bela cidade capital do norte de Portugal, tornando assim a presença do Ranger na cidade do Porto muito mais original, respeitando a verdadeira alma portuense.
Perante tudo isto, obviamente que Fabio Civitelli teria que obrigatoriamente visitar o lugar onde ocorreu o já famoso duelo de Tex em terras portuguesas e são precisamente algumas fotos dessa sua passagem pela zona ribeirinha do Porto que publicamos a ilustrar este texto…


Para finalizar e ainda a propósito desta fantástica ilustração de Tex na zona ribeirinha do Porto realizada pelo desenhador italiano, realce para o facto de Fabio Civitelli ter presenteado José Carlos Francisco com o DESENHO ORIGINAL como forma de agradecimento por ser um dos responsáveis pela sua constante presença em Portugal e por todo o carinho e atenção com que sempre é recebido no nosso país. Eis o momento em que Civitelli surpreendeu-me ao oferecer este que é sem dúvida alguma um dos mais especiais e valiosos originais da minha já de si grandiosa colecção de desenhos originais de Tex:
 


Ilustração ORIGINAL de Tex no Porto, com a respectiva dedicatória
(Para aproveitar a extensão completa das fotos acima, clique nas mesmas)

4

Encontro Bonelliano em Belo Jardim, Brasil

março 26, 2012
Por Sílvio Raimundo
Certa feita eu entrei em contacto com o meu Amigo Vander para ver se ele tinha revistas italianas do Dylan Dog, nessa época o personagem estava sendo lançado pela Conrad e eu estava catando tudo o que podia para conhecê-lo. O Vander não tinha nada para me vender, mas, indicou-me um Amigo seu do Rio de Janeiro. Entrei em contacto e do outro lado atendeu o José Ricardo do Socorro Lima, com quem fiz negócio.

Denny, Sílvio Raimundo e José Ricardo
Nessa mesma época, o Peter, dono da melhor banca de revistas que já houve em Belo Jardim, apresentou-me ao Denny, um Texiano inveterado que estava curioso por conhecer a outra pessoa além do Geraldo – outro Texiano de Belô (Belo Jardim) – e, claro, dele próprio, que comprava os Texs que chegavam à banca.
O José Ricardo (ZR) terminou por aportar em Belô para rever familiares, pois, quis o destino que eu fizesse negócio com um carioca descendente de nordestinos belo-jardinenses, encontrou o seu amor, casou, teve filhos, vez por outra aparece por aqui e, como bons Amigos que nos tornamos, vem à minha casa para falarmos do mundo Bonelliano.
O Denny, bom esse simplesmente sumiu e eu nunca mais o vi… E lá se vão dez anos, desde que conheci esses dois Amigos Bonellianos
Há alguns meses eu estava passeando com o Pedrão, meu Filho mais novo, e ao passar defronte ao bar do Náutico, clube Pernambucano pelo qual torço/sofro e falar com um conhecido, um “desconhecido” perguntou-me se eu ainda lia Tex! Era o bom e velho Denny, que não apenas estava de volta, mas, sempre morou VIZINHO à minha nova residência, apenas não sabíamos. Retomamos nosso contacto, visitamos a casa um do outro, vimos as colecções de cada um e, no dia 29 de Janeiro de 2012, tive o prazer de ter ao redor da minha mesa, o ZR e o DENNY em um verdadeiro encontro BONELLIANO, regado a bife, batatas fritas, cerveja gelada, Coca-Cola e a boa música do Graziano Romani no maravilhoso CD My name is Tex. Foram momentos agradabilíssimos, faltou apenas a torta de maçã!
Tudo correu como esperado. Eu temperei os bifes, pedi à minha Esposa que os fritasse e também as batatinhas enquanto eu fui buscar o ZR na residência dos seus Sogros, de onde fomos juntos à casa do Denny, para o ZR conhecer a sua colecção e iniciar as negociações de compra.
De lá viemos à minha casa, onde nessa altura, a minha Esposa e o meu Filho já tinham saído para que ficássemos à vontade. Conversamos sobre os nossos personagens favoritos, sobre as nossas ideias de “editores”, sobre o passado e o futuro das edições, dos tempos áureos de Belô, quando TODAS as edições da Vecchi chegavam por aqui e eu o Denny, então dois garotos que não se conheciam, trocávamos as revistas já lidas por outras a serem lidas, enquanto o ZR no RJ, também criança, com a ajuda da D. Maria, vendia revistinhas na feira e, claro, lia Zagor.
Nesse meio tempo, o ZR e o Denny fecharam a negociação de compra e venda da colecção e eu aproveitei para completar o “buraco” das minhas colecções de Tex e Mágico Vento.
Mas, como em tudo aquilo que nos é prazeroso, o tempo passa muito rápido e lá se vão dois meses, desde aquele momento e este onde o relato…
(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)
5

Fabio Civitelli no MAB Invicta: a arte de fazer felicidade e alegria

março 25, 2012
Por José Carlos Francisco (texto e fotografias)
Fabio Civitelli, o ilustre desenhador italiano de Tex que esteve presente em Portugal pela quinta vez, agora no MAB Invicta – Festival Internacional de Multimédia, Arte e Banda Desenhada realizado na cidade do Porto, depois de ter participado anteriormente nos eventos de Moura, Amadora, Beja e Viseu, mais uma vez  realizou belos desenhos feitos na hora, distribuiu autógrafos e sorrisos para além de posar para fotos ao lado dos seus inúmeros fãs presentes na bela e pacata cidade capital do norte e que foram até lá para vê-lo de perto, fazendo com que todos os Texianos presentes no Porto  desfrutassem da sua simpatia,  disponibilidade e arte, cultivando em elevado grau a arte de fazer feliz todos que o rodeavam, utilizando a sua deslumbrante arte para fazer felizes as pessoas ao seu lado, conforme se demonstra nesta sucessão de belas fotografias onde os possuidores dos tesouros Texianos autografados por Civitelli irradiam felicidade por todos os poros:



















(Para aproveitar a extensão completa das fotos acima, clique nas mesmas)
3

Tex, por Mike Deodato Jr.

março 24, 2012
Por José Carlos Francisco
Deodato Taumaturgo Borges Filho, mais conhecido por Mike Deodato Jr., natural de Campina Grande, Paraíba, Brasil, onde nasceu a 23 de Maio de 1963 é um dos artistas brasileiros de Histórias de Banda Desenhada de maior projecção internacional. Entre seus principais sucessos artísticos, estão “Mulher-Maravilha” (DC Comics), “Os Vingadores“, “Thor“, “Hulk“, “Homem-Aranha” e “Elektra” (Marvel Comics), no meio de muitos outros.
Mas porque Mike Deodato Jr. é assunto no blogue do Tex? Porque o consagrado autor brasileiro enviou ao blogue do Tex uma espectacular ilustração de Tex, personagem o qual Mike Deodato  aprecia bastante a ponto de considerá-lo um ícone da banda desenhada de faroeste e inclusive ambiciona vir a desenhar um dia no futuro o Ranger da Editora Bonelli:

 (Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Fabio CIVITELLI e os desenhos feitos na passagem pelo Festival MAB Invicta

março 23, 2012
Por José Carlos Francisco

No decurso da 1ª Edição do MAB Invicta – Festival Internacional de Multimédia, Arte e Banda Desenhada que se realizou na Faculdade de Belas Artes da majestosa cidade nortenha, Fabio CIVITELLI brindou dezenas de Texianos presentes com desenhos feitos no momento por si, para gáudio de todos, tal como já acontecera no MouraBD2007 ou aquando do FIBDA 2008 ou ainda no Festival de Beja 2010 tal como no Salão BD de Viseu 2011.
Mas os desenhos realizados por Fabio Civitelli não se ficaram apenas pelos produzidos no decorrer do Festival do Porto, isto porque nesta sua quinta passagem por Portugal, Civitelli foi assediado nos mais diversos locais pelos seus fãs na tentativa de conseguirem um desenho original de sua autoria feito na hora e com a respectiva dedicatória, levando a que o autor italiano tivesse por vezes que os realizar em condições inapropriadas, mas a todos Fabio Civitelli sempre respondeu positivamente, apesar de em alguns casos o cansaço do autor ser bem visível no seu rosto, fazendo um belíssimo desenho a cada Texiano e sempre com um sorriso encantador no rosto dando uma verdadeira lição de profissionalismo e de humildade, mostrando uma vez mais porque Civitelli é tão querido e admirado pelos seus fãs portugueses.
O blogue do Tex mostra, de seguida, a todos os interessados, inúmeros desses fantásticos desenhos que esperamos sejam do agrado de quem acessa o blogue. Desenhos esses que não se limitaram apenas a Tex, mas também a outros personagens da saga.
























(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)
5

Exposição de homenagem a título póstumo a Sergio BONELLI, no MAB Invicta do Porto

março 22, 2012
Por José Carlos Francisco (texto e fotos)
Para além da exposição com pranchas inéditas do Tex Gigante da autoria de Fabio Civitelli, abrilhantada pela presença do próprio desenhador italiano, esteve também patente na cidade do Porto, integrada igualmente na 1ª Edição do MAB Invicta – Festival Internacional de Multimédia, Arte e Banda Desenhada que se realizou na Faculdade de Belas Artes dessa bela cidade nortenha, nos fins de semana de 10/11 e 17/18 deste mês de Março, uma exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli (Milão, 2 de Dezembro de 1932 — Monza, 26 de Setembro de 2011), autor italiano de personagens de banda desenhada, entre eles Zagor e Mister No e editor de Tex, falecido no dia 26 de Setembro de 2011, com 78 anos.

Exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli, realizada no MAB Invicta 2012
 A exposição contou com cerca de cinco dezenas de fotografias do consagrado autor/editor tiradas nas viagens que fez pelo mundo e que mais tarde serviram de inspiração para o seu Mister No. As fotografias expostas na mostra do Mab Invicta 2012, vieram directamente do álbum fotográfico de Sergio Bonelli, álbum esse que Guido Nolitta (pseudónimo de Sergio Bonelli – criado para não ser confundido com o pai nas suas vestes de autor) sempre mostrou com modéstia e parcimónia mesmo aos amigos mais íntimos e que mostram uma outra faceta desconhecida de muitos dos seus admiradores.

Exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli, realizada no MAB Invicta 2012
De facto e ao contrário do seu pai, Sergio Bonelli não vivia somente para a banda desenhada. Um mês por ano o editor dava-se ao único luxo que verdadeiramente não dispensava: viagens maravilhosas e aventureiras aos locais mais recônditos do planeta com especial predilecção pelo Sahara em África e pela Amazónia na América do Sul.

Exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli, realizada no MAB Invicta 2012
África que Sergio Bonelli definia como uma linda mulher, uma mulher que se podia amar até à loucura, uma mulher que podia dar sensações extraordinárias, mas que também podia fazer sofrer. E prova disso foi o facto de ter sido em África que Sergio Bonelli experimentou algumas das piores injustiças da sua vida, como por exemplo quando, na companhia dos poucos amigos que o acompanhavam nos seus loucos itinerários, andava em busca de um forte da Legião Estrangeira ou de um cemitério de guerra abandonado e tinha que passar um posto de fronteira e a burocracia era sempre desgastante e maçadora: controles, perseguições, pequenos furtos de alimentos e bebidas, e o medo de ter que retroceder, tendo que fazer mais alguns milhares de quilómetros sem reabastecer. Um dos muitos estratagemas implementados por aqueles que queriam vingar-se de séculos de dominação do homem branco…

Fabio Civitelli e José Carlos Francisco na exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli
Todas estas aventuras reais vividas por Sergio Bonelli e que puderam ser vistas no MAB Invicta deram azo ao nascimento, em 1975, da sua mais amada personagem: Mister No, um piloto aventureiro que viveu, no decurso de pouco mais de 30 anos, a maioria das suas aventuras na grande floresta Amazónica e em que os cenários da geografia brasileira tal como os cenários africanos foram o pano de fundo para muitas das suas histórias. Piloto norte-americano Jerome (Jerry) Drake era um sobrevivente da Segunda Guerra Mundial que abandonou a sua pátria desiludido com a violência e as imposições da sociedade ocidental. Em sua fuga, escolhe o paraíso da plácida Manaus dos anos 50, cidade brasileira situada no coração da Amazónia e que Sergio Bonelli definia como uma espécie de Paris brasileira. Em Manaus compra um velho Piper e passa a ganhar a vida como guia turístico. Honesto, sincero, amante do álcool e de mulheres bonitas, preguiçoso mas pronto a se atirar em aventuras, é um rebelde por natureza, como demonstra o seu apelido…

Fabio Civitelli visitando a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Editor Dorival Vitor Lopes visitando a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Fabio Civitelli visitando a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Pards portugueses prestigiaram a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Carlos Moreira e Orlando Santos Silva na exposição de homenagem a Sergio Bonelli

Exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Público visitando a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

José Carlos Francisco visitando a mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)
2

Postagem em destaque

Aprenda a desenhar , rostos, mãos, pes, desenho da figura humana, seja um mestre da Arte do Hiper realismo, domine essa arte

Por; Juarez anunciação Me adiciona lá no facebook galera; https://www.facebook.com/juarez.anunciacao.16 Figura humana - Proporções O...