segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Heróis do futebol universo HQ, Esporte clube Vitória-Man o Rei do Universo Bahia-Man

Por; Juarez Anunciação
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, óculos e óculos de sol
https://www.facebook.com/juarez.anunciacao.5

No Universo Bahia-Man ,cada time de futebol no planeta Terra é representado por um Super Herói mascote. hoje saberemos mais sobre o Capitão-Vitória o Leão da barra.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Vitória-Man na Arte do seu criador gráfico Juarez Anunciação


Victor Antunes ,estudante de direito na Universidade Federal da Bahia. aluno promissor , foi infectado por Lourenço Alves Dias quando o fez perder os sentidos. Victor adquiriu poderes fora do comum como; facilidade para voa, auto fator de cura, laminas capar de cortar aço e perfurar metal, auto poder de combate corpo a corpo. Uma vez ao salvar seus irmãos adotivos em uma grande embarcação nos mares  de Salvador , encontra o anel da Vitória colocado alí secretamente por Lourenço. esse anel dentro dele possui um um poder oculto que quando combinado ou seja; ao usa-lo no dedo da mão direita e gritando a seguinte palavra -  '' Vitória Man transformação '' , surge o poderoso uniforme rubro negro.


Vitória-Man é o herói do futebol numero 2, criado por Lourenço para vencer e supera o Capitão-Bahia-Man o tricolor de aço. oque chama a atenção no universo Bahia-Man e que o Capitão Vitória o jovem Victor Antunes , mantem um ódio gigantesco em relação ao Capitão-Bahia. mesmo quando lutam em equipe na ( LJB ) Liga da Justiça Baiana. ainda assim são rivais.
Vitória-Man é o fabuloso Super Herói Brasileiro de raça pura da Classe A. é tam bem é o primeiro super herói do futebol a ter 3 transformações e também o primeiro leão a se torna Rei. 

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Nessas belas pagina vemos a batalha do Capitão Vitória X Serpente dos olhos d água

Nenhum texto alternativo automático disponível.



Faça um deposito de qualquer valor na conta de Juarez Anunciação e patrocine essa ideia. com sua doação pagaremos os trabalhos gráficos, a animação e o longa metragem que futuramente faremos se vocês leitores colaborarem. se você leu e gostou faça seu deposito bancário; BANCO BRADESCO;
AGENCIA 30004 DIG, 0 , CONTA POUPANÇA 1013759 DIG, 4 ; JUAREZ ANUNCIAÇÃO DOS SANTOS

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

O DESENHISTA GIOVANNI TICCI: 50 ANOS AO SERVIÇO DO HERÓI TEX WILLER

GIOVANNI TICCI:
50 ANOS AO SERVIÇO DO HERÓI

Por Saverio Ceri

O primeiro volume da última série de Tex no formato striscia (formato talão de cheques), a trigésima sexta, baptizada Série Rodeo, está datado de 30 de Janeiro de 1967, há exactos 50 anos.
Há exactos 50 anos nos quiosques italianos comparecia esta edição de Tex
Naquele volume os leitores de Águia da Noite conheciam um novo desenhador destinado a tornar-se no mais longevo colaborador da série Tex, visto que ninguém como ele pôde festejar as “bodas de ouro” com o Ranger criado por G.L. Bonelli. Estamos a falar, obviamente, do grande Giovanni Ticci, que já dez anos antes, ainda muito jovem, tinha feito a sua estreia na Casa Bonelli, nas fileiras do estúdio Dami que para o editor da Via Buonarroti realizava as aventuras de La pattaglia dei bufali. Entre 1958 e 1963, colaborando com Franco Bignotti, emprestou o seu lápis a Un ragazzo nel Far-West o primeiro grande personagem de Guido Nolitta, aliás Sergio Bonelli; com a conclusão das aventuras de Tim Carter, começou a desenhar Judok, personagem de ficção científica com textos de G.L.Bonelli, o seu primeiro personagem a solo, enquanto ao mesmo tempo se encontrava empenhado dia e noite a colaborar com Alberto Giolitti para as séries norte-americanas da Dell e não só. O trabalho para Judok prossegue tão lentamente que o personagem só verá as luzes do dia apenas em 1968, somente por um álbum, e completado por outros.  Bonelli dá porém uma outra chance àquele jovem talentoso, e desta vez, Ticci não deixou escapar a oportunidade e foi assim, que há exactos 50 anos, estreou-se nas páginas de Tex com a mítica história conhecida como Vendetta indiana (Vingança de índia), e desde esse dia Ticci nunca mais deixou de desenhar as aventuras de Águia da Noite e dos seus pards.
Giovanni Ticci festeja neste 2017 os seus 50 anos com Tex
Nesta nossa rubrica aperiódica, desta vez vamos ocupar-nos da produção ticciana para o ranger bonelliano: São 7634,33 as páginas oficiais de Giovanni Ticci para Tex, onde aqueles 0,33 devem-se precisamente ao facto da sua primeira aventura ter sido publicada no formato striscia e não nas habituais páginas do presente, mas ao mesmo tempo representa para o ilustrador um motivo de orgulho, por ter feito parte, mesmo que por poucos meses, daquela época mítica de Tex e da banda desenhada italiana no geral. A estas páginas, devem acrescentar-se outras 33, realizadas fora dos confins bonellianos, para seis aventuras curtas ou mesmo muito curtas, das quais uma, Tex Winner, no limite do apócrifo,  escrita por um tal Ondina (??), para festejar a vitória do Palio di Siena (corrida de cavalos na Piazza del Campo, no centro da cidade italiana de Siena que ocorre nos dias 2 de Julho e 16 de Agosto, desde o século XVII, em honra a “Nossa SeCampo”) de  2 de Julho de 1995 por parte da contrada (bairros de três regiões da cidade, que são escolhidos por sorteio) da Onda.
A Revista Comic Art 96, de Outubro de 1992, contém uma das histórias curtas extra bonellianas de Tex - Capa de Ticci
Além disso tem que se atribuir a Ticci algumas capas, como por exemplo a do sétimo Tex Gigante que o viu desenhar, como tradicionalmente, também as páginas internas, bem como uma dúzia de volumes da Mondadori, as 30 capas da Collezione Storica a Colori Série Gold do La Repubblica, e una miríade de capas para revistas (Comic Art 96 ou Dime Press 2 por exemplo), volumes ou iniciativas texianas.
Ilustração de Giovanni Ticci utilizada como capa do segundo número de Dime Press de Setembro de 1992
Até à data são 35 as histórias bonellianas de Tex em que Ticci “emprestou” o seu lápis, três delas assinadas a quatro mãos (duas com Giolitti e uma com Monti). Precisamente La strage di Red Hill (Tex italiano 431/435), aventura em que Ticci completou o trabalho iniciado por Giolitti após a morte deste último é a história mais longa, 461 páginas, em que colaborou o desenhador senês. A mais longa em solitária é por sua vez Terra Promessa (Tex italiano 146/149) de 375 páginas. Para encontrar as mais curtas é necessário sair do recinto Bonelli, e encontrar duas mini-histórias de apenas uma página, ambas escritas por Claudio Nizzi e publicadas em 2004 no livro Il riposo del guerriero da Hazard.
O Tex de Ticci
Seis são os escritores que escreveram aventuras de Águia da Noite ilustradas por Giovanni Ticci. O pard mais assíduo do desenhador senês foi Gianluigi Bonelli que escreveu para ele 14 histórias, contra as 12 de Claudio Nizzi; o criador de Tex também prevalece no número de páginas escritas para Ticci: 2784,33. Se sairmos da editora Bonelli, escreveram histórias curtas de Tex para Ticci os suspeitos do costume, Nolitta e Nizzi, mas também um par de escritores surpresa: Graziano Romani, ele que em 1995 foi o “cantor misterioso” da canção Christmas with the yours, e o “escritor misterioso”: Ondina que também naquele Outono de 1995 assinou o já citado episódio de Tex Winner.

No livreto incluído no disco de Graziano Romani "My name is Tex" encontramos uma breve aventura desenhada por Ticci, com textos do próprio Romani, onde Águia da Noite encontra Guitar Jim, um dos personagens da saga de Zagor
Segue-se a lista dos argumentistas que escreveram para Ticci classificados pela ordem de páginas desenhadas pelo ilustrador:
A média de páginas anuais de Ticci para Tex é de quase 153; o seu ano mais produtivo foi em 1990 com a publicação de 374 páginas; a sua mais constante presença nos quiosques italianos registou-se entre 1969 e 1978, dez anos consecutivos de publicação, enquanto a década mais rica no número de páginas publicadas foram os anos 80 do século passado com a publicação de 2084 páginas do desenhador toscano. A maior ausência das páginas de Tex aconteceu por sua vez entre Maio de 2008 e Outubro de 2010, ausência prolongada por razões de… programação, já que neste último mês foi publicado o Tex número 600, um álbum celebrativo a cores, o segundo realizado por Ticci, após os primeiros quatro álbuns centenários desenhados pelo criador gráfico do personagem, Aurelio Galleppini.
Giovanni Ticci é actualmente o terceiro desenhador mais produtivo de Tex após Aurelio Galleppini e Guglielmo Letteri; Na classificação geral da Editora Bonelli Ticci é, com mais de 9500 páginas, o oitavo desenhador no quesito número de páginas publicadas nos 76 anos de vida da editora milanesa; entre os desenhadores em actividade é segundo atrás de Roberto Diso, que com um milhar de páginas a mais, ocupa o sétimo posto da classificação all-time, enquanto ninguém o bate bonelliamente falando como precocidade na estreia (não encontramos mais nenhum jovem de dezoito anos com material publicado nos álbuns da SBE), nem como carreira: estamos muito próximos do sexagésimo ano de colaboração com a editora da Via Buonarroti. Recorde sem dúvida invejável e presumivelmente inalcançável.

Giovanni Ticci, © do autor
Encerramos com os parabéns a Giovanni Ticci por este histórico marco texiano e marcando encontro convosco para o próximo capítulo desta rubrica intitulada  “Tex em Números“.
Saverio Ceri

Material apresentado no blogue Dime Web em 30/01/2017; Tradução e adaptação (com a devida autorização): José Carlos Francisco.
Copyright: © 2017, Saverio Ceri

Postagem em destaque

Aprenda a desenhar , rostos, mãos, pes, desenho da figura humana, seja um mestre da Arte do Hiper realismo, domine essa arte

Por; Juarez anunciação Me adiciona lá no facebook galera; https://www.facebook.com/juarez.anunciacao.16 Figura humana - Proporções O...