Pular para o conteúdo principal

Entrevista com o fã e coleccionador: Felismino Alberto Costa Almeida

 
     Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.
Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Felismino Almeida: Chamo-me Felismino Alberto Costa Almeida (Berto, para os amigos), nasci em 1963, no Porto, onde ainda resido (Travessa da Ferreira 58- 1º andar) e trabalho em hotelaria, mais precisamente como empregado de mesa.
Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?Felismino Almeida: Desde muito novo comecei a ler banda desenhada; com os meus 7 ou 8 anos comecei a ler revistas da Disney  e tantas outras que os miúdos de 8 anos naquela altura liam. Já teenager, comecei a gostar das revistas do Mundo de Aventuras, Falcão, Tintin e Asterix, dos super-heróis e super-vilões da Marvel e da DC, Façanhas do Oeste,  e, claro, Zagor e Tex.
Quando descobriu Tex?
Felismino Almeida: O Tex surgiu na sequência de um assimilar de tudo o que era “cowboiadas” e destacou-se naturalmente  entre todos os outros.

Porquê esta paixão por Tex?
Felismino Almeida: Sinto uma empatia e afinidade com as personagens principais da série, a sua integridade, carisma, o facto de estarem sempre lá para os amigos e claro “viajo com eles” nas suas grandes aventuras.
O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?Felismino Almeida: As histórias têm grande dinâmica, acção continua e são bem estruturadas no enredo. O desenho é fiel à época, com grande detalhe, conseguem algo que poucos conseguem, dão-nos em papel a ilusão que a acção decorre em frente aos nossos olhos, as personagens saem do papel e ganham vida.
Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Felismino Almeida: Infelizmente, numa fase mais complicada da minha vida, ”fui obrigado ” a fazer dinheiro com a venda da minha colecção de BD, perdendo com isso a minha colecção do Tex. Com o passar dos anos direccionei o “gosto de coleccionar” para outras áreas, deixando para trás a BD, como tal neste momento, em papel tenho só umas dezenas de revistas (nenhuma do Tex), mas “mato o bichinho” com cerca de 700 revistas dos nossos heróis, que tenho digitalizadas no computador.
Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?Felismino Almeida: Gostava de ter algumas miniaturas das principais personagens.
Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Felismino Almeida: As minhas histórias preferidas são as que envolvem o incontornável arqui-inimigo do nosso herói, o maquiavélico Mefisto e o seu filho. Há no entanto uma outra que considero ser uma das suas aventuras mais originais, que é A Cidade de Ouro. Claro que escolher uma ou outra história entre dezenas e dezenas de autênticas obras-primas, é quase o mesmo que pedir a uma mãe que escolha entre 2 filhos
Embora todos eles sejam grandes profissionais nas respectivas áreas, algumas das minhas preferências dos artistas que nos fazem chegar esta obra de arte gráfica são no quesito desenho: V. Muzzi, Aurelio Galleppini, Repetto, E. Nicolò, G. Buzzelli (background do desenho algo escuro), Giolitti que sozinho tem mais atenção ao detalhe e expressões e a cores então é espectacular, José Ortiz – um pouco “noir“, V. Monti (não gosto de algumas histórias). Ainda nos desenhos não gosto muito de Diso, do trabalho em dupla de Galleppini e Muzzi (embora tenham um traço definido, pouca atenção ao detalhe), da dupla Giolitti e Ticci, de G. Letteri, apesar de gostar de algumas histórias e de G. Alessandrini.
Quanto às letras gosto de Nizzi, G. L. Bonelli, Nolitta e A. Segura.

O que lhe agrada menos em Tex?Felismino Almeida: A única coisa que me ocorre, é muitas das vezes a sua reacção a frases inofensivas ser partir logo para a violência.
Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Felismino Almeida: Nunca me encontrei com outros coleccionadores.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Felismino Almeida: Espero que os netos do meu neto, quando tiverem a idade que eu tinha quando comecei a ler a série, possam ir a um quiosque e comprar uma revista do Tex.

Prezado pard Felismino Almeida, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como usar o Grafite. Seja um mestre Hiper Realista

Por; Juarez anunciação
Me adiciona lá no Facebook; https://www.facebook.com/juarez.anunciacao.16




Quem esta iniciando é normal não ter muitos materiais, mas alguns são indispensáveis como o lápis 6B, com certeza ele vai dar um resultado mai satisfatório ao trabalho, também tem o lápis 3B que não chega a ser uma prioridade mas ajuda bastante na hora de fazer tons mais claros e suaves, o esfuminho também é um material muito interessante , ele ajuda a dar efeitos importantes ao trabalho facilitando o sombreamento em algumas partes, e uma borracha de preferência macia, apenas com esses três materiais já é possível fazer um bom trabalho.


2°- UMA BOA IMAGEM Para um bom resultado no desenho de observação depende também da escolha de uma boa imagem. Uma imagem pequena ou com baixa resolução esconde detalhes importantes que podem fazer muita diferença no resultado final do seu trabalho. Então procure trabalhar com imagens nítidas, com boa resolução e tamanho adequado para que pequenos detalhes não …

Todas as Histórias da Saga Bahia-Man Universo HQ, Criada em 2003 por Juarez Anunciação

Da Redação

A gora cada time de futebol no planeta Terra é Um Super Herói.  na batalha sem fim nesse universo existe um homem de aço entre nos...

Ba-Vi é o nome que se dá ao clássico do futebol em que se enfrentam os dois principais clubes da cidade de Salvador, o Esporte Clube Bahia e o Esporte Clube Vitória.
É provavelmente o maior clássico da Região Nordeste do Brasil e um dos maiores do Brasil, envolvendo o Esquadrão de Aço e o Leão Rubro-Negro, em confrontos desde 18 de Setembro de 1932 (Bahia 3 x 0 Vitória) com a maior parte deles sendo disputados no Estádio da Fonte Nova.
Em nove edições do Campeonato do Nordeste, o Ba-Vi decidiu três, com duas conquistas do Vitória (1997 e 1999) e uma do Bahia (2002), sendo este o único clássico estadual a chegar na final deste campeonato regional.


Dentre os resultados recentes, porém, o Vitória tem tido superioridade sobre seu maior rival, o que em tempos anteriores ocorria ao contrário, quando a superioridade era Tricolor.
Agora é Guerra! o Ba-V…

Conheça as gêmeas que compartilham o mesmo namorado e já gastaram quase 600 mil reais para se manterem idênticas

Da Redação

Agora você vai conhecer as gêmeas mais idênticas do mundo, que gastaram quase 600 mil reais em cirurgia plástica e até mesmo compartilham o mesmo namorado.

Lucy e Anna DeCinque acabaram com suas poupanças em implantes mamários, injeções nos lábios, sobrancelhas e cílios falsos, para se certificarem de que se parecem exatamente uma com a outra.
As jovens de 28 anos, que nasceram apenas com um minuto de diferença uma da outra, comem as mesmas refeições, saem sempre juntas e compartilham a mesma conta no Facebook.
Gêmeas mais idênticas do mundo, que gastaram quase 600 mil reais em cirurgia plástica e até mesmo compartilham o mesmo namorado, se tornaram sucesso no Japão recentemente. Lucy disse: “Nós podemos até mesmo sentir a dor do outro, como no dentista, que é uma coisa de gêmeas.”



A dupla, de Perth, Austrália, atualmente está namorando o mecânico Ben Byrne.
Elas disseram ao canal Seven Sunrise: “Nós tivemos namorados separados no passado e não deu certo, mas agora é muito mais fá…